Jessie Ware

Pra esquecer que sinto sua falta

zzz Encho minha cara de vodka. Pego o primeiro que aparecer. Vou pro puteiro. Me drogo. Esvazio a garrafa de uísque, e faço coisas de que vou me arrepender amanhã. Amanhã. Só pra esquecer você. Porque sóbrio, eu me lembro.

Basicamente, essa é a letra de Habits (Stay High), de Tove Lo. [Nunca ouviu falar desse mulher? Clica aqui] Ela faz um monte de coisa – as mais absurdas – pra tentar esquecer o cara. Ele foi embora, e agora ela tem que ficar bêbada. Veja, não tem escolha aqui. Não é uma música que fala do álcool como escape ou como consolo. Mais do que isso: o álcool e a loucura parecem os únicos caminhos possíveis pra ela. É quando teu corpo tá tão impregnado de alguém que a única saída é fugir dele, fugir da tua essência. Deixar de ser gente e virar bicho. Nesses momentos, tu pode fazer as coisas mais loucas. Coisas que nunca achou que teria coragem. – São os Wildest Moments, feito Jessie Ware diz:

Baby in our wildest moments / we could be the greatest, we could be the greatest.

Baby, in our wildest moments / we could be the worst of all.

Às vezes se desprender de si pode ser bom, perder o controle pode ser bom. Não pensar em nada… Fazer e pronto. Aí os problemas fogem da gente, e as preocupações, os arrependimentos – tudo vai pra longe, pra um lugar isolado. Ali, não dá pra ouvir o barulho que eles fazem. Não dá pra lembrar. Tove Lo abre o peito pra gente e diz assim:

You’re gone, and I gotta stay high. All the time.

to keep you of my mind.

Spend my days locked in a haze

tryin to forget you babe

I fall back down.

High. All my life. To forget I’m missing you.


Pois é, rapaz. Os wildest moments fazem a gente esquecer. Mas, veja só, um dia a gente lembra.

E eu sei, Tove Lo sabe, todo mundo sabe que não dá pra ficar chapado sempre. Não dá pra fugir pro álcool ou pra leitura ou pra cozinha toda vez. Uma hora você pára. E aí você lembra.

Você lembra do que fez. Do que disse. Você lembra dele, lembra dela. E aí?

Aí não tenho solução. Nem pra você, nem pra mim.

Só tenho duas músicas boas, olha elas aqui:

Eric

Prainha indie

lonely sad alone miss u tumblr girls wallpapers (7)

A gente criou esse blog de tarde, no fim da tarde.
Finalmente um espaço em que a gente pudesse escrever livremente! Longe do academicismo do direito e da impessoalidade do jornalismo.
Queríamos ver cinema, literatura, música – tudo o que a gente ama – se misturando e interagindo entre si. Conseguimos!

Acabamos de montar layout e proposta do blog no fim do dia: o sol sumindo no céu e o mar de Recife castigando as pedras do calçadão. Ou pelo menos é assim que eu me lembro. Minha memória às vezes pode ser meio inverossímil.

De todo jeito, estamos aqui.

E pra começar da melhor maneira, a primeira playlist da Vitrola. (Dizem os editores que ela vai ser mensal, veremos)
O tema é Prainha indie – fim de tarde

É isso. Praia. Pôr-do-sol. Você sozinho.

Quer pensar na vida?
Só clicar aqui e dar play.

Eric