Especial Graciliano Ramos

Especial Graciliano Ramos – suma

gra

“Comovo-me em excesso, por natureza e por ofício. Acho medonho alguém viver sem paixões.”

[Graciliano Ramos – Memórias do Cárcere]

 

Obrigado por acompanhar a gente durante essa semana!

Muitos outros especiais virão.

Nos aguardem!


 

POSTS:

Vidas Secas (livro)

Infância | Angústia

Vidas Secas (filme)

Perfil: Luís da Silva

 

Anúncios

Especial Graciliano Ramos

gracilianofoto

27 de Outubro.

Dia em que nasceu Graciliano Ramos.

Eu sei, você leu Vidas Secas pro vestibular e nem gostou de verdade. Certo?

Momento confissão: a gente também conhecia muito pouco de Graça, e nem gostava tanto assim dele – que, aliás, é considerado um dos maiores escritores do Brasil.

Isso mudou.

A gente leu Vidas Secas depois de adulto, viu o filme, leu Infância, Angústia, comprou São Bernardo, encomendou Memórias do Cárcere e pretende ler qualquer linha desse homem que aparecer pela frente. Mudou a nossa percepção das coisas que ele escreve. Parece que a obra de Graciliano tem um encanto maior quando você é adulto e descobre que o mundo pode ser um lugar mesquinho, e meio cruel.

Outubro de 2014.

122 anos depois do nascimento desse menino quieto, lá em Alagoas.

A gente quer comemorar a vida dele. Dividir com vocês uma impressão mais subjetiva – emocional mesmo – desse escritor sensível, que as salas de cursinho pré-ENEM costumam descaracterizar. Graciliano é mais que uma lista de características e umas poucas páginas de resumo de obra. Ele toca a alma da gente, arranca gentilmente lágrimas dos nossos olhos e acima de tudo: se mostra de peito aberto, pra que a gente o conheça. Sem pedir a nossa pena, nem a nossa simpatia.

Nesse especial prometemos posts emocionados sobre os livros que já lemos e sugestões de filmes sobre as obras.

Feliz dia vinte e sete!

E obrigado pela aprovação, Graciliano.

Eric

Assinatura de Graciliano Ramos

Leia mais: Cinco Vidas Secas